A despeito da fama de ser o reduto do samba na cidade, hoje o bairro de Olarias possui apenas uma escola de samba atuante, a Sociedade Recreativa Escola de Samba Águia de Ouro. A entidade sofre, no entanto, com a falta de recursos financeiros para organizar o desfile para o próximo ano.


O dinheiro que as escolas de samba utilizam na cidade é repassado pela Fundação Municipal de Cultura de Ponta Grossa. Elicene Stolle, membro da Sociedade Recreativa Escola de Samba Águia de Ouro, afirma que o valor recebido não é suficiente e, por isso, é preciso realizar eventos para arrecadar dinheiro.

Elicene reclama que o repasse da prefeitura é demorado. Com isso, escolas do Rio de Janeiro e São Paulo acabam pegando os melhores materiais carnavalescos feitos pelas empresas especializadas. Isso obriga as escolas de fora do eixo Rio-São Paulo a utilizar apenas as sobras.

“A gente tem, então, que se virar com o que tem e procurar o mais barato, fazer no improviso, pedir para os amigos ajudarem. E só não paramos porque a gente gosta mesmo. Mas a verba é muito pequena”, conta.

A previsão de verba, a ser distribuída pela Fundação Municipal de Cultura, é de R$ 15 mil para cada escola fazer o desfile do próximo ano. Além desse valor, a Águia de Ouro espera arrecadar até R$ 3 mil com os eventos realizados pelo grupo.

Em parceria com a Associação de Moradores de Olarias, a escola organiza jantares beneficientes, festas e outros eventos para levantar caixa e auxiliar no custeio da produção do desfile. Também existe patrocínio de algumas lojas do comércio da cidade.
Elicene conta que a verba da Fundação deve ser recebida até o mês de novembro. Atualmente são destinados R$ 60 mil à Liga das Organizações Carnavalescas de Ponta Grossa, que é responsável por repassar o dinheiro igualmente entre as três escolas. Parte dos recursos fica com a própria Liga.

Eduardo Godoy, assessor de comunicação da Fundação Municipal de Cultura, afirma que o sistema de repasse de dinheiro para as escolas vai mudar neste ano.
“Antes era feito um convênio entre a prefeitura e a Liga das Organizações Carnavalescas. Agora, não será possível esse convênio e, portanto, será feito um chamamento público”, afirma. Godoy também conta que ainda não há uma data definida para o chamamento.

 

Demora de repasse público prejudica funcionamento de escola de samba

Cultura carnavalesca já contou com duas escolas de samba

 

Arquivo Comunitário:

11/03/2014 - Escola de samba de Olarias participa do carnaval com poucos recursos