altO Sintcom utiliza três meios de comunicação para fugir do conteúdo da mídia oficial. São eles: um site, um jornal mensal e eventuais boletins informativos no formato papel. Os conteúdos são variados e enfocam as ações da categoria. O Sindicato representa 5,8 mil trabalhadores do estado do Paraná.


O Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (Sintcom), com sede em Curitiba, distribui bimestralmente o Jornal do Sintcom, nele estão as ações do sindicato, bem como as últimas decisões políticas que interferem no dia-a-dia do trabalhador dos correios. O Sintcom conta também com um site, com conteúdo diversificado do jornal e boletins informativos com periodicidade indefinida.

Dirce Franco, que trabalha nos Correios há 15 anos, e é sindicalizada, procura ler o jornal sempre que possível, e acessa o site semanalmente. Para ela, essa é a melhor maneira de formar uma opinião acerca das decisões da empresa: "Através do jornal e do site a gente consgeue ver o lado da empresa e o lado do sindicato, além de tomar conhecimento de indicativos de greve, por exemplo", conta.

O jornal conta com quatro mil exemplares que abrangem em seu conteúdo as 4 subsedes sindicais: Maringá, Cascavel, Londrina e Ponta Grossa.  A distribuição é feita em todas as agências dos Correios da região, além dos sindicalizados receberem um exemplar em casa.

As três produções tem um jornalista responsável, chamado Gustavo Vidal, que vê na imprensa sindical uma forma de mostrar conteúdos que não aparecem na mídia tradicional: "Nós fazemos o que se chama de contra-informação. Por exemplo, numa greve a mídia tradicional mostra os problemas que a greve acarreta, mas não mostra os direitos dos trabalhadores e as causas da greve", diz.

As notícias dos três informativos são basicamente as mesmas, porém o site consegue ser atualizado mais frequentemente, já que o jornal é mensal e tem número de páginas limitado. Já o boletim é distribuido apenas para reportar fatos inesperados ou reforçar direitos da categoria. Vale destacar para os funcionários não filiados que o jornal está disponível na página do Sintcom-PR