A questão das ciclovias em Ponta Grossa, hoje, é uma das mais debatidas. Movimentos como o Bike PG e o PróCiclovias, foram criados para promover a segurança dos ciclistas, como também incentivar o uso da bicicleta como alternativa de mobilidade.

Segundo dados da Autarquia Municipal de Trânsito da cidade, os ciclistas estão entre os mais vulneráveis das vias públicas. 

Atualmente, o município conta com duas ciclovias. Uma no Contorno Leste, localizado no bairro Neves - no entanto a qualidade da pista é ruim - e outra ao lado do Parque Ambiental, que não contém nenhuma sinalização.
O Prefeito Marcelo Rangel (PPS), sancionou no início deste ano, a Lei Municipal 11.211, do “Sistema Cicloviário”, estabelecendo a criação de ciclovias, ciclofaixas e faixas compartilhadas.
As ciclovias são uma via de trânsito separado das vias de veículos motorizados, para uso exclusivo dos não motorizados como as bicicletas. A ciclofaixa, é a faixa pintada no chão sem separação física. Ela é para o uso exclusivo das bicicletas. "Ponta Grossa não suporta ciclovia devido a estrutura da cidade, mas ciclovias são possíveis de serem implantadas e já foram prometidas", afirma o ciclista Nilson Carvalhais.
O governo do município garante que até 2014, ciclovias ou ciclofaixas serão colocadas nas avenidas Visconde do Rio Branco, Visconde de Mauá e a Rua Brasil.
O projeto é de autoria do Secretário de Obras e Serviços Públicos, Alessandro Lozza, e prevê o incentivo e estabelecimento de infraestrutura para o uso de bicicletas. A equipe do Portal Comunitário procurou Alessandro, que não quis falar sobre o assunto.

Próximo bloco: Movimentos em prol do ciclismo em Ponta Grossa

Editorial: Mobilidade, saúde e economia