O arroio, na Ronda, está visivelmente sujo e coberto pelo mato. (Foto: Douglas Kahl)

 

A chuva tem se tornado um transtorno para os moradores do Parque Autoestrada, na Ronda. O arroio da região transborda e inunda as ruas no entorno. Em consequência, a água cobre as pistas, interrompendo o tráfego de veículos.

Em agosto de 2015, a prefeitura realizou obras para melhoria do sistema de drenagem e para revitalização na Avenida Visconde de Taunay. O Parque Autoestrada, localizado à beira da via, recebeu obras complementares. Contudo, as intervenções não foram suficientes para resolver o problema da drenagem da água na região e, quando chove, os alagamentos são constantes.

O aposentado José Ramos, morador do Parque, explica as dificuldades que enfrenta com as inundações. “Antes eu costumava varrer a calçada. Agora, não dá porque a água traz muita areia e terra.”

Segundo o aposentado, o arroio da região está muito sujo e entupido. José explica que, nas gestões passadas, a prefeitura vinha limpar. Assim, o arroio ficava mais largo, desobstruindo a passagem da água. Ele e mais alguns moradores tentaram limpar o córrego. No entanto, sem uma máquina pesada, o serviço torna-se impossível.

José afirma ainda que a administração colocou, logo após as obras de drenagem na Avenida Visconde de Taunay, máquinas no arroio para fazer o manilhamento e muita terra foi retirada. Em função disso, agora, a casa do morador, que fica logo ao lado, está sendo “engolida” pelo arroio devido ao desbarrancamento da encosta. “Tive que tirar todas as minhas coisas e meu carro que estavam daquele lado do terreno, porque está tudo caindo”.

Partes do arroio está aberto, com restos de manilhas quebradas, desmoronando e “engolindo” casas. (Foto: Douglas Kahl)

 

Mas não é só José que sofre com os constantes alagamentos na região. Marilene Silva, que também mora às margens do arroio, conta que as inundações já trouxeram insetos e outros tipos de praga.

“Quando chove alaga tudo. A água traz muita sujeira e bichos (aranhas e ratos). Moradores já foram picados por aranha aqui. É muita sujeira acumulada no arroio. Por isso que inunda tudo. O prefeito nos abandonou aqui! ”

Entramos em contato com a prefeitura para cobrar soluções para os problemas apresentados pelos moradores. O setor de ouvidoria informou que a responsabilidade é da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA).

Rubens Garcia dos Santos, engenheiro da SMMA, informou que a secretaria não pode fazer nada porque não possui maquinário para tal ocasião, como as retroescavadeiras, essenciais para a realização dos reparos. Segundo ele, quem pode resolver a questão é a Secretaria de Obras. Por sua vez, tentamos entrar em contato com este setor, mas ninguém nos atendeu até o fechamento da matéria.

Rubens ainda informou que o que pode ser feito pela população é o requerimento junto à prefeitura para informar e pedir a solução do problema. “A pessoa precisa comparecer à secretaria da prefeitura, fazer o requerimento, pegar uma senha e esperar a vez. Quando for chamado pode informar o problema e será dado o número de seu processo. Assim poderá acompanhá-lo e cobrar solução da prefeitura”

Contudo, José Ramos, o morador que está tendo a casa engolida pelo arroio, diz que ele e outros moradores já informaram a prefeitura acerca do problema, mas nenhuma providência foi tomada.

 

Salvar

Salvar

Salvar