Cerca de 70 pessoas ficaram sem atendimento no dia seguinte à última invasão na Unidade Básica do bairro Ronda


Os funcionários da Unidade Básica de Saúde Roberto Jesus Portela, localizada no bairro Ronda, lidam, há dois meses, com o vandalismo e os assaltos no local. Durante esse período, os vândalos entraram 13 vezes na Unidade.

 

Responsáveis pela UBS declaram que os vândalos levaram computadores, pertences dos funcionários e arrombaram armários. Na última ocorrência, registrada no último dia 05, foram encontrados, no local, fezes e preservativos usados.

A enfermeira Marcela Bueno diz que o fato de a Unidade ser ao lado de uma escola facilita o acesso. A suspeita é que os vândalos invadem a escola e depois pulam o muro que a separa da Unidade de Saúde.

As ocorrências têm prejudicado o atendimento. “Nós passamos um período sem poder fazer alguns exames por conta das invasões e isso prejudica a assistência que a gente tenta dar à população'', comenta.

Segundo Marcela, mesmo que seja necessária apenas uma limpeza no local após a invasão, já gera um grande atraso nos atendimentos. Ela conta ainda que a paralisação da UBS aconteceu somente após a invasão do início deste mês.

A interrupção das atividades se deu não apenas por causa da necessidade reorganização do local, mas também como forma de protesto contra o vandalismo. 

A aposentada e moradora da Ronda Cleonice Antunes afirma que os atos de vandalismo são comuns no bairro. Ela destaca ainda os moradores não entendem o porquê a própria comunidade fazer isso.  

Neste ano, também foram assaltadas as UBS Adam Polam, na Palmeirinha, Sadi Silveira em Olarias, Ezebedeu Linhares no Jardim Amália e Zilda Arns no Boa Vista.

Numa das visitas da equipe de reportagem do Portal Comunitário à Unidade Básica de Saúde, foi verificado que a Prefeitura de Ponta Grossa está instalando cerca de arame farpado nos muros do local.

A equipe de reportagem do Portal Comunitário tentou entrar em contato com a Polícia Militar, através do telefone, mas ninguém atendeu.