altO aumento salarial,conquistado pelo SindServ no dia 18 de março consiste em  10% de aumento real para os professores e 5,1% para os demais servidores, além de 4,9% de repasse de inflação para ambos, totalizando um acréscimo de 14,9% nas folhas de pagamento dos docentes e 10% nas dos demais funcionários públicos.

A conquista do aumento representa uma vitória para a classe e abre portas para novas reivindicações. Assim, como o prefeito acatou o ofício enviado pelo SindServ em janeiro, pedindo a revisão da lei 10375-10, que representa o plano de carreira dos docentes, o Sindicato reuniu os professores no dia 26/03 para discutirem a elaboração de um novo projeto de lei.

Para isso, elegeram-se, por aclamação, uma comissão composta por quatro professores, dois do ensino fundamental e dois do infantil, e seus suplentes. De acordo com o presidente do SindServ, Leovanir Martins, o grupo deverá “elaborar o projeto para apresentar pro governo a proposta de recomposição salarial”.

Essa elaboração ainda está em estágio inicial, mas os professores pretendem atingir o piso salarial de R$ 3.038,00 para docentes com 40 horas-aula. O objetivo é chegar nesse total em quatro anos, com um aumento de 20% ao ano, com a porcentagem da inflação já incluída.

Entretanto, de acordo com a Professora Andreia Albuquerque, membro do Conselho Fiscal do Sindicato, a criação dos novos cargos comissionados, aprovada em lei junto com o aumento salarial dos servidores, atrapalhará as negociações, por gerar um custo grande aos cofres municipais. “Vamos torcer para que no ano que vem a receita do município aumente, porque se ficar nesse valor seremos prejudicados”, afirma a professora.

Próximo bloco

Lei cria 94 cargos comissionados junto a reajuste dos servidores

Bloco anterior

Após aumento salarial, Sindserv busca novo plano de carreira para professores