Em assembleia realizada na sede do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Ponta Grossa, no dia 29, os trabalhadores negaram a contra proposta do Prefeito aos 10% de aumento salarial - 7,5% em maio e os 2,5% restantes em outubro - definidos na última reunião da categoria.

Cerca de 200 servidores dos diversos setores da administração  municipal compareceram na assembleia geral, realizada no Sindicato dos Servidores, para deliberar sobre a contra proposta feita pela Prefeitura da Cidade. Presente em maior número estava o setor da Educação, que representa também o maior segmento (3500 trabalhadores), ficando acima da Saúde (1900 trabalhadores).

O aumento salarial de 8,5% oferecido – 7,5% em maio e 1% em setembro – foi rejeitado pelos representantes das categorias que compareceram.  Todos concordaram em resgatar a proposta anterior de 10%. Questionado sobre a garantia do recebimento dos 2,5% concedidos para outubro, caso a Prefeito aceite a proposta, o presidente do SindServ, Leovanir Martins, explica que essa garantia estaria em uma lei, pois todo processo de negociação passaria por ela.

O próximo passo foi decidir que instrumentos usariam para o resgate da proposta e foi cogitada a possibilidade de greve. “Greve acima de 50% [de participantes] é boa. Com menos que isso, é fraca. Pode fortalecer o outro lado [a gestão]”, explica Martins.

Após votação, a maioria decidiu que, caso a reivindicação dos 10% não for atendida, os servidores responderão com um Ato Público. “É uma forma de negociação mais democrática”, justifica a professora Roseli Novak.  O ato está marcado para a próxima quarta-feira (7/05), das 17 às 19 horas em frente à Prefeitura Municipal.