Lançamento do vídeo 'Massacre 29 de abril: ataque do Governo do Paraná aos professores' será às 20 horas, na sala B do Cine Teatro Ópera

Diversas categorias do funcionalismo público se reunem nesta sexta-feira, dia 29, no "Ato em memória aos trinta dias desde o massacre de 29 de abril". A manifestação conjunta no centro de Ponta Grossa contará com a presença de professores da UEPG e da rede estadual de ensino, estudantes e servidores da saúde, Iapar, penitenciárias, entre outros setores. O protesto está marcado para começar às 14:30 horas, na Praça dos Polacos, seguindo em direção ao Parque Ambiental.

 

Além de ser discutida pelas categorias mobilizadas (em greve ou paralisação por tempo determinado), a proposta do ato conjunto foi debatida na reunião realizada na terça-feira, dia 26, pelo comando de greve dos professores da UEPG.

Com o objetivo de trocar informações e discutir atividades unificadas, estiveram presentes na reunião servidores das categorias de agentes penitenciários, justiça do Paraná, IAPAR, Sindsaúde e APP-Sindicato, além de estudantes da UEPG.

Fátima Ribeiro, funcionária do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e filiada ao Sindicato dos Engenheiros (Senge/PR), relatou as dificuldades pelas quais passam os servidores da instituição. Segundo Fátima, a preocupação principal é com a preservação da pesquisa e do trabalho com a agricultura familiar.

Para Mônica Glinski (em pé, na foto), da diretoria do Sindicato dos Servidores Estaduais da Saúde do Paraná (SindSaúde), é importante "a luta unificada de todos os servidores". Em Ponta Grossa, de acordo com Mônica, estão mobilizados os funcionários do Hospital Regional, do Hemepar e da Secretaria da Saúde.

Os servidores da saúde fizeram paralisação na terça e quarta, dias 26 e 27. Na sexta-feira, dia 29, participarão da marcha "Um mês do massacre", que será realizada de manhã em Curitiba. À tarde, farão assembleia da categoria também na capital.

Documentário

O documentário 'Massacre 29 de abril: ataque do Governo do Paraná aos professores' é um vídeo jornalístico sobre com cenas da agressão da PM aos professores, no Centro Cívico, em Curitiba. No filme de 45 minutos, além das imagens, os acontecimentos são apresentados por meio de entrevistas com estudantes, professores e servidores que sofreram a violência ordenada pelo governo Beto Richa.

A produção é do projeto de extensão do curso de Jornalismo da UEPG Lente Quente, em parceria com Agência de Jornalismo, TV Comunitária de Ponta Grossa, Sinduepg e com a iniciativa de financiamento coletivo do livro de fotografias 'Massacre 29 de abril'.

Trata-se da primeira produção audiovisual documental de Ponta Grossa a reconstituir o trágico episódio de ataque ao movimento grevista estadual, de cerceamento à livre manifestação e ao direito de acompanhar votação na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná.

Exibição aberta ao público: 29/05/15, 20h, na sala B do Cine Teatro Ópera.

Nota: O local da exibição do documentário tinha sido alterado, no final da tarde da quinta-feira, porque a Prefeitura de Ponta Grossa proibiu a realização do evento no Ópera, com a alegação de este ter cunho político-partidário. Assim, o Portal Comunitário substituiu a informação relativa ao local, que passou a ser o Grande Auditório da UEPG (Campus Central). Na manhã desta sexta-feira, a Prefeitura liberou o uso do Cine Teatro Ópera. Então, novamente a informação do local foi mudada nesta matéria, voltando a ser dito que o evento ocorrerá na Sala B do Cine Teatro Ópera. A coordenação editorial do Portal Comunitário esclarece que alterações no conteúdo de matérias publicadas não fazem parte da prática jornalística do veículo. Neste caso, as mudanças foram feitas para que os leitores não recebam a informação errada.

Sobre as mudanças no local, veja:
Prefeitura libera exibição do documentário por pressão dos professores
Prefeitura de Ponta Grossa proíbe exibição de documentário no Cine Teatro Ópera

Veja também:
Governo apresenta proposta para a data base
Em mensagem enviada à Alep, governo deixa de cumprir Lei do Piso

Arquivo comunitário
30/04/2015 - Desrespeito e violência policial ordenada pelo governo marcam manifestação de professores
02/05/2015 - População de Ponta Grossa repudia violência aos professores