O evento foi organizado pelo Programa Educacional Tutorial (PET) do curso de História da UEPG. A palestra, realizada pelo professor e pesquisador Ilton Cesar Martins, aconteceu na última terça-feira, dia 24, no Hall Tecnológico do Campus Uvaranas.

O objetivo foi promover a reflexão acerca do Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro.

Segundo a aluna do quarto ano do bacharelado em História e uma das organizadoras do evento, Jessica Almeida Sachs, mais do que comemorar, a palestra pretendeu “memorar o Dia de Consciência Negra como algo que está em constante construção”.

A fala do professor Ilton, formado pela Universidade Estadual do Paraná de União da Vitória, se pautou por um recorte de seu projeto de pós-doutorado. O estudo é sobre a mestiçagem na província do Paraná, no século XIX, e sobre aspectos da escravidão na região dos Campos Gerais.

O pesquisador destaca que esse recorte da pesquisa se chama ‘Rufino, Benedita e outros nomes’. Ilton disse que o nome do estudo se explica por ele trabalhar com a tese “de que é preciso nominar os escravizados porque senão trabalhamos com generalidades e esquecemos que são pessoas com identidades próprias”.

Ilton ressalta a importância da data para a promoção da reflexão sobre o preconceito e problemas vivenciados por pessoas negras no país: “À medida que você tem uma data para discutir questões raciais, isso gera posições das pessoas e isso facilita a criação de um debate saudável sobre racismo, discriminação e até mesmo cotas nas universidades”.

Para as alunas do Programa de Doutorado em Educação da UEPG, Rosiane da Silva e Simone Aparecida Machado Pinheiro, discutir, na universidade, as questões sociais ligadas às pessoas negras é fundamental.

“Deveria ser trabalhado o ano inteiro. É a partir dessas discussões, principalmente na graduação, que a sociedade tem um retorno em forma de ações”, defendem ambas.

Arquivo Comunitário

24/08/2015 - Sorriso Negro promove palestras em instituições de ensino e no comércio varejista
31/03/2015 - Comunidade e UEPG discutem ajustes na política de cotas para pessoas negras