altOs sindicatos das Instituições Estaduais de Ensino Superior avaliaram a minuta que contém a reformulação do Plano de Carreira Cargos e Salário dos técnicos. Segundo o Sintespo, o documento não agradou a categoria.

 

O Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos Estaduais de Ensino Superior de Ponta Grossa (Sintespo) se reuniu com os diretores dos sindicatos mistos das Instituições Estaduais de Ensino Superior (IEES) em Curitiba, na quinta-feira (17/10), para a apreciação dos termos e propostas do governo estadual sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS).

A minuta chegou para o sindicato da UEPG pelas mãos do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá, que representa os profissionais da UEM. Para o presidente do Sintespo, Emerson Barbosa, a demora na entrega das propostas e a recusa do governo em negociar com as lideranças sindicais são uma demonstração do descaso com a situação dos técnicos.

Diversos pontos da minuta foram questionados pelos sindicatos durante a reunião de avaliação em Curitiba. A  Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI) anunciou para os sindicatos que fez o máximo possível e que problemas com a minuta devem ser debatidos com a Procuradoria Geral do Estado (PGE).  “A SETI lavou as mãos, dizendo que agora é com a PGE”, aponta Barbosa.

Contactada pela nossa equipe, a Assessoria da SETI indicou que não há um posicionamento oficial por parte do secretário Alípio Leal, que se encontra em uma viagem.  Barbosa ainda explica que uma reunião entre os reitores e o governo acontecerá em breve, para explicar os dois pontos conflitantes da minuta.

“Esses artigos foram colocados de surpresa de novo”, diz Barbosa sobre os artigos 17 e 18 da minuta apresentada. Na análise dos sindicatos, essas novidades não são boas para os direitos da classe, porém o governo afirma que não irá prejudicar o trabalhador.  Agora o sindicato espera o envio da proposta para a Casa Civíl e os debates sobre o tema na Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP). Os sindicatos pretendem acompanhar os debates sobre o PCCS e as outras pautas com os deputados.

A Sintespo marcou uma assembleia para o dia 22 de outubro, onde serão debatidos os próximos passos da categoria. A reunião acontece no Auditório do PDE, às 14h30, e é aberta para todos os servidores da UEPG. “È uma decisão da categoria”, conclui o presidente.

Confira a minuta na íntegra pelo site do Sintespo (www.sintespo.com.br)

alt