Um viveiro de árvores nativas e frutíferas da região será alternativa de renda para os trabalhadores rurais de Ponta Grossa. As famílias integrantes do projeto receberão uma parte das frutas produzidas, e o restante será vendido à CONAB.

O Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ponta Grossa (Sindrur) está promovendo, em parceria com a Associação de Agroecologia de Ponta Grossa e Região (ASAECO), o plantio de árvores nativas e frutíferas na cidade.


Segundo o presidente da ASAECO, Antônio Strufka, o objetivo é incentivar a produção de agroflorestas, além da venda do excedente para a Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB). “As famílias que participarem vão receber parte da produção das árvores frutíferas. A segurança alimentar é uma grande preocupação da Associação”, diz.


O local do viveiro ainda não foi definido, mas o intuito é que esteja perto dos trabalhadores. As sementes para o plantio foram compradas em outubro.


O Ministério da Agricultura explica que os sistemas agroflorestais possuem uma característica de sustentabilidade. Esses sistemas devem apresentar aspectos sociais justos, economicamente viáveis e ecologicamente corretos.


Inicialmente, as famílias podem plantar 20 pés de qualquer árvore que esteja de acordo com o projeto.


Antônio explica que os faxinais da região de Itaiacoca também irão se beneficiar com a construção do viveiro. Segundo ele, os animais do local podem se alimentar com as frutas que caírem das árvores.


A produção de bracatinga também já possui um destino final: os agricultores firmaram um acordo com os produtores de carvão de Ponta Grossa.

Veja também

25/09/2011 - Agricultores debatem Programa de Aquisição de Alimentos