Trecho registrou em média 45 acidentes por mês no ano de 2014, segundo dados levantados pela concessionária que administra a rodovia

Após sete mortes somente no ano de 2015, a prefeitura e a concessionária que administra a rodovia, a CCR Rodonorte, firmaram uma parceria que viabilizará obras na Avenida Souza Naves. O objetivo é melhorar a circulação na via. O início está previsto para o começo de 2016.

Obras privilegiam os veículos e não atendem as demandas dos pedestres

Excesso de velocidade e desrespeito às legislações agravam ainda mais o problema

 

O processo licitatório das obras está em andamento. Entre as melhorias, estão um canteiro central e um retorno nas vilas Borato e Romana. O custo previsto é de R$ 1,8 milhões, verba já aprovada, em outubro passado, pela Câmara dos Vereadores. O empréstimo será feito junto ao programa Paraná Fomento.

Para a concessionária que administra a BR 373, a iniciativa de reforma deve trazer mais segurança para todos que passem pelo local. Atualmente, os motoristas que precisam fazer retorno no trecho utilizam o acostamento, esperando diminuir o tráfego, ou acabam reduzindo a velocidade e fazendo a conversão irregular na própria pista.

“Nesse trecho, os veículos atravessam em qualquer lugar, pois não há canteiros separando as faixas de direção da via. Esta medida garantirá segurança aos veículos que precisam retornar e também aos que estão trafegando na via”, explica Fernando Viechnieski, que faz parte da equipe de planejamento da Rodonorte.

As obras emergenciais foram discutidas entre prefeitura, vereadores, deputados e líderes das comunidades. A decisão pela melhoria surgiu após ser registrado elevado números de mortes, neste ano. Os motoristas reclamam da falta de segurança na avenida que tem uma extensão de 11 quilômetros, no perímetro urbano.

“Quando preciso fazer retorno perto da Vila Borato, é necessário aguardar no acostamento e somente quando diminui o fluxo nos dois sentidos é que consigo atravessar”, explica Rafael Stelle. O condutor trabalha como motorista de caminhão e, por isso, passa pelo trecho diariamente.

O trecho é um dos principais escoamentos de veículos para outras regiões do Paraná. A BR 373 liga Ponta Grossa ao Norte e ao Oeste do Estado. O fluxo chega a oito mil veículos por dia.

“Nós temos que fazer um investimento pesado na Souza Naves. A última revitalização aconteceu há 25 anos e o número de carros aumentou muito. A solução definitiva seriam trincheiras, marginais, canteiros e viadutos”, argumenta o vereador e representante da região, Rogério Mioduski.

O projeto de reforma da rodovia foi elaborado pela CCR Rodonorte e foi entregue à Prefeitura de Ponta Grossa em novembro. O governo municipal fica responsável pela execução das obras.