Isenção tributária sobre a empresa concessionária de transporte coletivo de Ponta Grossa é revogada. Enquanto isso, descumprimento de artigos da Lei nº 7.018/02 que ampara esse serviço é posto em pauta na Câmara Municipal de Vereadores em busca de qualidade no transporte da população.

A categoria queria um aumento de 12% nos salários e reajuste de 100% no vale-alimentação, que atualmente é de R$120. A empresa propôs um reajuste de 10% e vale-alimentação de R$ 170. Mas, com o acréscimo de um abono no 13º salário, a assembleia realizada na tarde desta sexta, dia 28, aceitou o acordo.

A população pontagrossense provou nesta quinta-feira, dia 20, que não é feita de açúcar. Apesar do 'aguaceiro' que caía, dirigiu-se até a Praça Barão de Guaraúna, conhecida como Praça dos Polacos, às 18h para a concentração. O ato público, denominado na rede como “O outro Passo”, faz parte do movimento “Verás que o filho teu não foge a luta”, que se espalhou por todo o país. 

Mais de 4 mil pessoas. Este foi o número de manifestantes que o protesto “Verás que o filho teu não foge a luta” reuniu na noite desta segunda-feira, dia 17, no centro de Ponta Grossa.

Após o prefeito Marcelo Rangel anular a renovação do contrato com a Viação Campos Gerais, Ponta Grossa vem debatendo a questão da qualidade do serviço de Transporte Público. No fim do seu mandato, Pedro Wosgrau havia renovado o contrato com a empresa por mais 10 anos. 

VCG diz que sempre seguiu as determinações da Prefeitura

Audiência Pública discute o futuro do transporte coletivo

Editorial: Incertezas do Transporte Público