altA audiência pública sobre transporte coletivo realizada dia 2 de abril, às 15h, na Câmara Municipal gerou tumulto por parte do público presente, que reclamou do horário marcado para a sessão e da demora para as falas dos inscritos. 

alt

Proposta pertencia ao candidato Márcio Pauliki. Péricles pretende mater a iniciativa e Rangel fez alterações no projeto.

transporte7-30-05-11A Viação Campos Gerais (VCG) entrou com dois tipos diferentes de processos contra os líderes do Movimento Cidadão, um dos principais responsáveis pelas manifestações contra os aumentos da tarifa de transporte público de Ponta Grossa.

Em 2006, foram interditos proibitórios no valor de 100 mil reais por dia a Joel Oliveira, Patricia Ricetti e ao Movimento Cidadão. Em audiências posteriores, tais liminares foram derrubadas.

Porém, em 2009, novos processos foram instaurados no valor de 10 mil reais a Oliveira, Aliel Machado e ao Movimento Cidadão. Os interditos proibitórios são liminares que, no caso, impedem os réus de parar qualquer ônibus da empresa.

Oliveira também responde por danos morais à VCG. Se condenado, terá que pagar multa no valor de 10 mil reais. “A VCG conseguiu na justiça nos impedir de parar ônibus, mas as manifestações estão garantidas na constituição. Porém, eles tentam ganhar um processo por danos morais. É uma estratégia de intimidação”, afirma Oliveira.

Também indiciado, Machado afirma que o movimento não vai parar. “Temos o direito de nos manifestar e continuaremos lutando. Faremos panfletagem e pretendemos colocar um quiosque no calçadão para dar informações, colher assinaturas e debater o assunto com a população”, conta.

A assessoria de comunicação da empresa afirma que as manifestações são válidas, desde que não atinjam a imagem da empresa. “Não toleramos que a credibilidade da empresa seja denegrida”.
 
Próximo bloco: Estrutura do trânsito causa atrasos

Bloco anterior: Projeto de duas tarifas pode ser manobra para demitir trocadores 

transporte1-30-05-11

Após o aumento de 20 centavos na tarifa do transporte público, é estudada a possibilidade de dois valores diferentes, podendo chegar a R$ 2,90. Vereadores temem demissões dos trocadores e população ainda enfrenta problemas com o transporte.

 Projeto de duas tarifas pode ser manobra para demitir trocadores

VCG processa manifestantes

Estrutura do trânsito causa atrasos

EDITORIAL:  O 'usuário legal' quer melhorias

Tramita na Câmara Municipal de Ponta Grossa o projeto de lei que permite ao Poder Executivo conceder o uso do Terminal Central de Transporte Coletivo e Urbano para construção e exploração de um centro comercial e serviços. A proposta do projeto de lei nº 96/2011 partiu do Governo Municipal. De acordo com a projeto, o espaço será destinado ao comércio de vendedores ambulantes da região central da cidade.