Visando a melhoria nos bairros, a União das Associações de Moradores da cidade intensifica a aproximação dos presidentes das associações e projeta soluções para problemas e dificuldades dos bairros. No caso da Ronda, torneira comunitária é solução para falta de saneamento básico em comunidade.

“Uma diretoria sólida cria qualidade de vida nos bairros”. É o que diz o presidente e também assessor de assuntos comunitários na Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, Paulo Sérgio dos Santos. A gestão 2014 da UAMPG (União das Associações de Moradores de Ponta Grossa) deixou a queda de braço política de lado e apenas uniu forças, pensando no melhor para a comunidade.

Tomando a frente de 214 associações no momento, Paulo tem um projeto de resgatar cerca de 60 associações, dando amparo às mesmas. O trabalho se dá através da fusão entre sociedade civil e poder público, ou seja, a União serve como mediadora do diálogo comunidade e governantes. Trabalhos jurídicos foram implantados esse ano, com hora marcada para os associados.

A presença constante das lideranças dos bairros é de extrema importância para que o trabalho da UAMPG alcance seu objetivo. Valdir Oliveira, presidente da Associação de Moradores da Ronda, procura constantemente os serviços da União, querendo o melhor para seu bairro: “Sempre que aciono o Paulinho, ele está pronto para ajudar. Um dos nossos maiores problemas atualmente é a comunidade do Bambuzal. Com a ajuda do Paulo, estamos correndo atrás das melhorias”, diz.

No dia 7 de fevereiro, juntamente com a ARAS (Agência Reguladora de Águas e Saneamento Básico), Paulo esteve no Bambuzal e constatou a importância da instalação de torneiras comunitárias para a população, pois os mesmos estavam consumindo água de péssima qualidade, ocasionando problemas na saúde.