altCom nova diretoria, a União das Associações de Moradores de Ponta Grossa (UAMPG) começa a implementar as atividades de 2013. A expectativa do grupo é de que haja pelo menos oito novas filiações à entidade até o final do ano.

Associações conhecem planos da UAMPG para o ano de 2013

Sem verba do município, UAMPG depende de outros recursos

Editorial: A mãe de Todas

altA União das Associações de Moradores de Ponta Grossa (UAMPG), que funciona como um elo entre os bairros e o poder público, tenta envolver cada vez mais os líderes comunitários. No almoço de posse da nova diretoria, cerca de 20 presidentes de associações filiadas à entidade conheceram o planejamento para o ano de 2013.

Em busca do interesse comum para a cidade de Ponta Grossa, a União tenta manter o trabalho que começou há 25 anos, quando a comunidade precisava de um meio para se comunicar com as autoridades. Presidente da Comissão Eleitoral da entidade, Neymar de Meira Albach, afirma que a UAMPG tentará trabalhar cada vez mais em conjunto. “Parece clichê, mas a união faz a força, quando várias ideias se unem, a solução aparece”, diz.

Albach comenta que muitos presidentes de associações não estão em atividade, pois a ação demanda um esforço grande que não é recompensado financeiramente. “Muitas vezes deixamos família, lazer, o final de semana, tudo de lado, em benefício do outro”.

A atividade de líder de comunidade sem retorno financeiro deve entrar em pauta nas discussões entre a entidade e o poder público durante o ano. Como a UAMPG não tem repasse de verba municipal, a nova diretoria conta com um membro responsável exclusivamente pela busca de apoio em empresas da cidade para viabilizar as atividades da União.

Paralelo a esse objetivo, um dos projetos idealizados é a parceria com o Olinda Esporte Clube. O Presidente da UAMPG, Paulo Sergio dos Santos, afirma que trabalha, juntamente com patrocinadores, em um modelo de Copa Ponta Grossa. O intuito é trazer as crianças junto com os pais. “Queremos a família como parte da integração nos domingos com a Associação”, diz.

Clique para ouvir a saudação à nova diretoria da UAMPG, feita por Neymar de Meira Albach, presidente da Comissão Eleitoral, durante a solenidade de apresentação da nova gestão a autoridades e líderes comunitários.

{audio}images/audio/2013/Uampg-19-04-13.mp3{/audio}

alt

Próximo bloco: Sem verba do município, UAMPG depende de outros recursos

Bloco Anterior: Atual diretoria da UAMPG inicia novas atividades com associações de bairros

altCom nova diretoria, a União das Associações de Moradores de Ponta Grossa (UAMPG) começa a implementar as atividades de 2013. A expectativa do grupo é de que haja pelo menos oito novas filiações à entidade até o final do ano.

Associações conhecem planos da UAMPG para o ano de 2013

Sem verba do município, UAMPG depende de outros recursos

Editorial: A Mãe de todas

Uma nova proposta de Campeonato de Futebol nos bairros está sendo feita pela diretoria do Olinda Esporte Clube. O presidente do Clube, vereador Paulo Cenoura, explica que a ideia é a realização de jogos de futebol aos domingos, entre as Associações de Moradores, com a participação também das crianças, adolescentes e mulheres.

A diretora geral e de eventos, Lusinete dos Anjos, assumiu no fim de junho a presidência da União das Associações de Moradores de Ponta Grossa (UAMPG). O ex-presidente Paulo Sérgio dos Santos pediu afastamento da entidade para se candidatar a vereador nas eleições municipais. Lusinete explica que a mudança na presidência não prejudica os trabalhos da União. “Eu já estava por dentro de todas as atividades da UAMPG e elas terão continuidade da mesma forma como estavam sendo realizadas. Fui ecolhida para esse cargo porque sou a integrante da diretoria mais participante aqui”, diz.

Arquivo comunitário: Nova gestão da UAMPG se reúne para definir parcerias

Neste sábado a Caravana da Alegria vai até o bairro 31 de Março. O presidente da União das Associações de Moradores (UAMPG), Paulo Sérgio dos Santos, informa que os moradores podem participar fazendo reivindicações que são documentadas e encaminhadas aos secretários responsáveis. Do total de reclamações feitas em outros bairros, 20% já foram atendidas.

 
A UAMPG organiza desde fevereiro o programa de rádio, patrocinado por uma empresa da cidade, transmitido pela Rádio Antena Sul FM – 102,7 e Rádio Difusora AM – 690, todos os sábados das 8h às 10h. O presidente da entidade conta que o programa tem a finalidade de dar voz aos moradores dos bairros. De acordo com os pedidos dos presidentes das associações de moradores é definido o itinerário da Caravana.

 

Confira também: Moradores do Neves enfrentam problemas em áreas de lazer

uampg1-07-12-11A União das Associações de Moradores de Ponta Grossa propõe a formação de uma associação  no Jardim Boreal. Na primeira assembleia, os moradores serão incentivados a formarem uma diretoria. O conjunto foi inaugurado na última sexta-feira, dia 02.

Desde abril deste ano, a nova diretoria da União das Associações de Moradores de Ponta Grossa (UAMPG) está revisando os documentos das associações de moradores. O objetivo é regularizar os mandatos que estão vencidos, uma vez que é função da entidade fiscalizar as diretorias das associações de bairros. 

A partir de setembro, a UAMPG passou a abrir editais para novas eleições nos bairros que estavam com irregularidades nos mandatos dos presidentes. Lusinete dos Anjos, diretora geral da UAMPG, afirma que é necessário um tempo para avaliar todas as associações de bairros.

“Nós ainda não temos um número exato de associações que estão com mandato vencido. Mas já estamos realizando eleições nos bairros que constatamos estarem irregulares”. Lusinete afirma ainda que os moradores podem procurar a UAMPG caso haja problemas com a gestão de determinado bairro. “Se a associação de moradores não atende a população, deve nos procurar”.

Um exemplo de que os habitantes dos bairros buscam a entidade para solucionar problemas com gestões é o morador do Santa Lúcia, Ivan Benk, que procurou a diretoria da União das Associações para denunciar o presidente do bairro que estava com o mandato vencido. 

“Eu precisei ir até a UAMPG e pedir que eles abrissem um edital para novas eleições aqui no Santa Lúcia, já que que o atual presidente se recusa a deixar o mandato”. De acordo com Lusinete, até dezembro a UAMPG deve ter o número exato de bairros que estão em situação irregular.

“Conforme vamos averiguando se as gestões estão dentro do prazo, vamos abrindo editais nos bairros que já sabemos estar com o mandato vencido. Todos os sábados estamos realizando eleições”.

EDITORIAL: É preciso se mover 

Bloco anterior: Santa Lúcia: sem editais para eleições desde 2008

uampg-21-06-11A entidade gastará cerca de 14 mil reais para concluir as mudanças na sede, que envolvem reforma do espaço e reformulação da estrutura de funcionamento. O presidente da UAMPG busca apoio de empresários e das associações de moradores para juntar o montante.

Em 2004, quando houve eleições municipais, a Prefeitura de Ponta Grossa passou a ser administrada por uma nova gestão. Nessa mesma época, a UAMPG começou a ter problemas com documentações referentes às prestações de contas.

A descrição de como o dinheiro recebido era empregado não foi aceita pela Controladoria Geral do Município. Desde então, a instituição deixou de receber a verba que sustentava seus projetos.

A antiga diretoria da UAMPG, vigente até abril de 2011, defende que a entidade está em situação regular com a Prefeitura. Em conversa com o ex-presidente, Nei Lima, foram apresentados à equipe do Portal Comunitário documentos que provam que as prestações de conta da entidade estão em ordem. “Temos documentações emitidas pela prefeitura que provam que não devemos nada”, afirma.

Em um dos documentos apresentados, emitido pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná, consta o seguinte parágrafo: “Certificado, na forma do provimento nº 47/2002, de 31/10/2002 que o (a) União das Associações de Moradores de Ponta Grossa está em situação regular em relação ao artigo 27 da lei nº 5.615. A presente certidão é válida até o dia 31/03/2004”.

Entretanto, a prestação de contas até então considerada regular passou a ser investigada pela Prefeitura. No dia 21 de dezembro de 2010, a UAMPG recebeu um ofício que notificava a entidade a devolver ao governo municipal o valor equivalente à R$137.825,26. O prazo para a devolução do dinheiro era de 15 dias.

O motivo pelo qual se exigia a devolução da quantia, segundo o ofício 187/2010-CGM (emitido no dia 21 de dezembro de 2010), era que apenas as despesas com combustíveis teriam sido aceitas pela Controladoria Geral do Município.

Ney Lima, na época ainda presidente da UAMPG, pediu uma notificação para a revisão do ofício. O processo sobre a dívida da entidade ainda está em andamento.

Próximo bloco: Entidade recebeu recursos para o programa Pró-Limpeza

Bloco anterior: Prestação de contas da UAMPG segue em investigação