A entidade que atende deficientes visuais e físicos utiliza métodos lúdicos para chamar a atenção dos visitantes da Feira do Livro.

Desde o inicio da V Feira do Livro e a II Flicampos, a Unidev preparou e desenvolveu varias atividades de conscientização da população. O grupo desenvolveu oficinas de Braile, Soroban e artesanato, apresentou espetáculos teatrais como “O esquisito” e “A fé também vem pelo ouvir”, apresentação de jogos de truco e dominó adaptados para deficientes visuais.

O portal de entrada da Feira de Livro, foi ponto de atenção na manhã do sábado dia 14 de setembro. Quem entrava parava para tentar entender como os deficientes visuais da Unidev estavam jogando truco. José Paulo, Marcos e Claudio portadores de necessidades visuais e Maxwell que é quem guia os jogos.

Muitas pessoas pediram para ver as cartas, sentir, alguns se arriscaram a descobrir quais eram as cartas, “É incrível o que eles fazem com as cartas. Eles jogam melhor do que eu, só sentindo as bolinhas [esta se referindo as letras do braile], é tão incrível” comenta o segurança do evento.

As apresentações de teatro também investem neste objetivo, mostrar a população que embora limitados, são capacitados para desenvolverem muitas outras atividades. “O nosso objetivo é que as pessoas percebam do que somos capazes” diz José Paulo, o presidente da entidade. “Faz um favor para mim, pega a palavra deficiência e tira a primeira letra. Como fica?” Eficiencia. “é nisso que invisto, na eficiência que os próprios deficientes precisam encontrar neles mesmos e que as outras pessoas precisam aprender a ver” afirma.

Arquivo ComunitárioFalta material adaptado para estudantes e profissionais com deficiência visual