Balneário Rio Verde continua abandonado pelo poder público

Lanchonete e banheiros abandonos e depredados confirmam o péssimo estado de conservação do balneário (Foto: Nilson de Paula Junior - Arquivo Portal Comunitário)

 

Em frente ao Campus Uvaranas da UEPG, está a entrada para a estrada de terra, em péssimas condições, que dá acesso ao Rio Verde. Ao chegar ao balneário, percebe-se que a estrutura está totalmente depredada pelo abandono e pelo mau uso pelos usuários.

 

O ambiente destinado ao lazer da população ponta-grossense acaba sendo marcado não apenas pelas péssimas condições, mas também pelas ocorrências policiais, como o homem encontrado morto no local em novembro passado.

Construído em 2002, o local foi reformado em 2010. Com a visita ao espaço, equipe do Portal Comunitário verificou as péssimas condições de conservação do local, cuja infraestrutura conta com lanchonete, sanitários, churrasqueira, mesas, bancos, pias, quadra, parque infantil e iluminação.

O mato está alto e há lixo espalhado por todo o balneário. Nas quadras de futebol, as traves encontram-se no chão. Os muros estão pichados. A lanchonete e os banheiros totalmente depredados e as churrasqueiras quebradas.

O morador do Núcleo Rio Verde, Marcos Sicorski, diz que ia muito ao espaço de lazer, antes da primeira reforma, quando os usuários contavam apenas com o rio. Ele se tornou um frequentador assíduo quando foi construída a infraestrutura do balneário, em 2002. ”Na época, era mais tranquilo, mas hoje não dá mais para frequentar, está muito perigoso, tem muitos vândalos e depredação”, critica.

Lucas Freitas, morador da Vila Pitangui, diz que continua frequentando o local, mas reclama da falta de segurança. “Em determinados horários e quando há poucas pessoas, é perigoso ir lá”, relata. “Há algum tempo, era um lugar bom para se divertir.”

O que afugenta ainda mais os moradores são as mortes no local. Ano passado, como divulgado pelo Portal Comunitário, morreram duas pessoas. Em função dessas ocorrências, Reinaldo dos Santos, morador da Vila 31 de março, considera o local perigoso e lembra que, no fim do mês passado, foi encontrado um homem morto próximo ao Balneário. Diante do clima de insegurança, ele afirma que não pretende frequentar mais o local.

Questionada sobre a situação de abandono do Balneário Rio Verde e os planos de recuperação, a Prefeitura de Ponta Grossa, através da assessoria de imprensa, informou que a responsabilidade de gestão é da Secretaria de Meio Ambiente. A equipe do Portal Comunitário entrou em contato com a  Secretaria, mas até o fechamento desta notícia, não foi obtido retorno.

Arquivo Portal Comunitário:

23/08/2016 - Balneário do Rio Verde passa por abandono

03/03/2016 - Secretaria municipal de Meio Ambiente planeja revitalizar Balneário Rio Verde

 

Salvar

Salvar

Salvar