Vigilantes do Paraná acusam bancos de investir pouco na segurança dos clientes. Eles alegam que agências não têm instalado divisórias que separam os atendimentos nos caixas. O Sindicato dos Vigilantes de Curitiba e Região cobrou as instituições na quarta-feira (21/03), durante audiência na Assembléia Legislativa.

O grupo acredita que não basta proteger só o dinheiro, os bancos também precisam fornecer mais segurança para as agências e clientes. “Nós estamos preocupados com as vidas”, afirma o presidente do sindicato de Ponta Grossa, José Nilson Ribeiro. Os vigilantes reivindicam mais investimento em câmeras nos espaços de circulação de pessoas, em instalação de portas giratórias com detectores de metal e em blindagem nos vidros das fachadas.

 

Veja também: Vigilantes voltam a discutir salários e condições de trabalho