vigilantes3-1-14-07-11

 

 

 

 

 

 

 

 

O mês de junho mereceu destaque na vida dos vigilantes pontagrossenses, com a comemoração do Dia do Vigilante (20/06), o aniversário de fundação do sindicato e a inauguração da sede campestre. Mobilizações e greves são marcas da categoria.

Inauguração da sede campestre reúne vigilantes de toda região

Sindicato busca garantir lazer e integração da categoria

Os 26 anos de luta dentro do movimento sindical

EDITORIAL: Conquista de segurança para quem zela pela segurança

Em 2011 completam-se os 26 anos de fundação do sindicato que começou como Associação Profissional dos Empregados de Empresas de Assessoramento, Informações, Perícias e Pesquisas de Ponta Grossa e Região.

Tal associação representava várias categorias. O reconhecimento do vigilante como profissional veio em 1985, e então era fundado em 21 de junho do mesmo ano o Sindicato dos Vigilantes de Ponta Grossa.

A história de lutas e conquistas vem desde os tempos da ditadura militar no país. Mobilizações e greves uniam a categoria que sempre buscou reconhecimento e melhores condições de trabalho.

“O movimento sindical no Paraná sempre foi forte, mas Ponta Grossa foi uma das primeiras cidades que não eram grandes centros a fazer uma greve e se mobilizar na luta de classes”, conta José Nilson Ribeiro, atual presidente do Sindicato.

Nilson e o já falecido João Leocádio Fagundes vinham desde o início buscando melhorias, promovendo encontros e então obtiveram a Carta Sindical – documento necessário para o reconhecimento legal de um sindicato.

“As greves foram proibidas durante a ditadura militar, mas, mesmo assim, as ações de mobilização e luta pela busca dos ideais eram incessantes”, lembra o presidente do Sindicato ao falar dos momentos e conquistas que a categoria obteve com as greves que se repetiram por 14 vezes desde 1985.

Próximo bloco: Inauguração da sede campestre reúne vigilantes de toda região 

Arquivo comunitário:

11/04/2011 - Sindicato defende mais qualidade nos serviços de vigilância