vigilantes1-24-09-11A pedido de um leitor do Portal Comunitário, a equipe de reportagem apurou as informações com relação ao uso do uniforme fora do expediente do serviço. Assista ao vídeo e confira o que o presidente do Sindicato dos Vigilantes fala sobre o assunto.

 

 

 

A Lei n. 7.102, de 20 de junho de 1983, aponta regras que as empresas devem passar aos funcionários. Entre elas está a norma que limita o uso do uniforme ao horário de serviço do vigilante.

O presidente do Sindicato dos Vigilantes, José Nilson Ribeiro, explica que a farda do vigilante pertence à empresa, e a lei afirma que o vigilante não deve usar o uniforme fora do local de trabalho.

O agente da polícia federal, Moretto, explica que para além de uma norma, não usar uniforme fora do ambiente de trabalho é uma segurança a mais para o vigilante. “Às vezes tem pessoas de má fé que podem se aproveitar da situação, quando vêem que o trabalhador é segurança”.

Além de o uniforme não poder ser usado no horário em que o vigilante não está em serviço, Ribeiro explica que o porte de arma só é autorizado no posto de trabalho do vigilante. A arma fica na empresa.

O agente Moretto esclarece que, se o vigilante for pego com arma fora do posto de vigilância, responde por porte ilegal de armas, e não se encaixa na situação de penalidade especial, que é considerada quando o vigilante está em acordo com as normas estabelecidas.

Veja também

22/06/2011 - Sindicato destaca importância do uso de uniforme para vigilantes