Alunos participando de aula no salão da igreja Alunos reunidos para aula no salão paroquial. (Foto: Coordenaração do Grupo de Estudos Pré-Vestibular Imaculada Conceição)

Com um novo semestre começando, recomeça também a temporada de estudo dos estudantes que pretendem prestar o vestibular. Devido à grande concorrência, alguns alunos buscam alternativas para intensificar os estudos. Para aqueles que não podem arcar com os custos de um curso pré-vestibular, algumas igrejas de Ponta Grossa oferecem, há alguns anos, esses grupos de estudos gratuitamente.

Para participar dos cursos ofertados pelas igrejas Bom Jesus e Imaculada Conceição, é necessário se inscrever e participar de uma análise de renda, bem como apresentar apresentar documentos de identificação. Neste semestre, as inscrições já acabaram. 

As aulas começam no dia 20 na Imaculada Conceição e 22 na Igreja Bom Jesus. Mas novas vagas serão abertas conforme passe a prova de inverno e se aproxime o próximo vestibular de verão. Neste caso, os cursos acontecerão entre julho ou agosto até dezembro. 

Rodrigo Milléo é coordenador do cursinho da Igreja Imaculada Conceição, que existe há 10 anos ininterruptos. Ele conta que quando há esforço e dedicação, os alunos obtêm bons resultados. 

O coordenador reforça que, mesmo sendo um cursinho oferecido pela igreja, não existe nenhuma relação com a religião nas aulas. “Não existem aconselhamentos nem grupos de oração. Muitas vezes, fazemos, no entanto, palestras motivacionais”, ressalta.

Camilla Buiar é uma das estudantes que participou do grupo de estudos pré-vestibular da Igreja do Rosário realizado no ano passado. Aprovada em primeiro lugar no curso de Educação Física do vestibular de verão 2016 da Universidade Estadual de Ponta Grossa, ela conta como foi participar. “Foi uma boa experiência, os momentos de confraternização que o curso proporcionou foram ótimos também”, conta. “Ajudou muito a aliviar a ansiedade para fazer a prova”, acrescenta.

Sobre os professores, que são todos voluntários, Camilla conta que ajudaram muito na conquista da vaga. “Os macetes que os professores passavam foram muito importantes, além da cobrança para entender a necessidade de estudar”. 

Bruna Lemr é acadêmica do quinto ano de Direito e, há três anos, dá aulas de redação no cursinho da Igreja Imaculada Conceição, a “Igrejinha” de Uvaranas. Ela diz que é uma experiência muito gratificante. “Estamos toda semana acompanhando, vendo o crescimento e ajudando a realizar sonhos”. 

Para Bruna, a sensação de dever cumprido ao ver as aprovações dos alunos, que vão desde jovens saindo do colégio até pessoas com mais idade que sonham com um curso universitário. “Todo mundo deveria participar de uma ação assim”, afirma a estudante. Ela diz que prepara aulas a fim de englobar outras matérias, ajudando, assim, a melhorar também o conhecimento de mundo e o desempenho nas disciplinas.

 

Salvar

Salvar